Em meio ao desespero, o vereador “blogueiro” Carlos Portta e “Sassá da construção” tentam a reeleição

Faltam poucas horas para o pleito que definirá a nova bancada do Poder Legislativo na Câmara Municipal de Manaus (CMM), nos próximos 4 anos. Enquanto novos candidatos prometem mudanças e melhorias nas politicas públicas para a população, os antigos, improdutivos em seus mandatos, tentam em meio ao desespero a reeleição.

Esse é o caso do vereador Carlos Portta (PSB), que segundo fontes próximas, é um dos que não mostrou produtividade em seu mandato. Durante os 4 anos em que teve a oportunidade de propor projetos e fiscalizar o legislativo em prol da população, Portta nada fez. De seu gabinete, em uma posição confortável, o vereador eleito no pleito de 2016 não fiscalizou os atos da administração municipal e, nem tampouco, legislou em benefício da comunidade. Segundo alguns dos ex-assessores do vereador, o gabinete na CMM era seu escritório particular para assuntos de seu interesse.

Ainda segundo fontes próximas, Carlos nunca esteve próximo às comunidades, exceto, quando precisa gravar vídeos e propagandas eleitoreiras. Também foram raras as vezes em que subiu na bancada do plenário para cobrar dos representantes os direitos do povo ou apresentar propostas de projetos.

Ao contrário de seu papel como vereador, por meio de suas redes sociais, Portta apresenta uma vida típica de um “blogueiro”, onde usufrui de certa influência para adquirir parceiros comerciais e publicitários, deixando a função de vereador em segundo plano, o que acaba por resultar na falta de apoio e respeito dos outros parlamentares.

Na reta final da campanha, e em busca da reeleição, Carlos Portta (PSB) forçou uma aproximação do candidato a prefeito Ricardo Nicollau (PSD), o que pode ter aumentado o índice de rejeição pelo candidato a reeleição, já que os internautas (eleitores) parecem não acreditar nas intenções de Portta.

Outro vereador que não apresentou produtividade na Câmara é Cícero Custódio, conhecido como Sassá da Construção Civil. Filiado ao Partido dos Trabalhadores desde 2010, Sassá tem uma vida politica cheia de polêmicas e contradições. É casado e pai de cinco filhos, porém, recentemente virou alvo de escândalos na imprensa, após uma dupla traição ser descoberta. Além de ser acusado de manter em seu gabinete duas “funcionárias fantasmas”, apontadas como amantes, o vereador também foi acusado de mantê-las com o dinheiro público. Além disso, o vereador também foi apontado como o agressor de uma recepcionista identificada como Jéssica Bastos dos Santos, de 27 anos.

Tantos escândalos pessoais parecem ser levados em consideração pelos eleitores, que somam a má conduta dos parlamentares ao fato de não exercerem o mandato conforme a legislação assegura.

Assim com Portta, Sassá também é apontado como o vereador improdutivo e sem projetos, que resolveu, após esses três anos e meio de mandato, abandonar o gabinete, assim como, seu ar-condicionado, os cafezinhos, ternos e gravatas para se aventurar pelas periferias de Manaus, em busca de voto.

O candidato do PT foi até alvo de chacota dos internautas, ao ser visto em um asfaltamento de rua, em um bairro qualquer da cidade, empurrando um carrinho de mão.

A emenda constitucional nº 16, de 4 de junho de 1997, introduziu o instituto da reeleição no sistema eleitoral brasileiro. Essa emenda assegura o direito à disputa da reeleição para membros do executivo e legislativo.

Entretanto o eleitor deveria aproveitar a oportunidade, e levar alguns critérios em conta, antes de escolher reeleger um candidato.

Alguns eleitores não concordam em manter no cargo o político que não apresentou propostas e nem realizou seu trabalho nesses 4 anos de mandato ” o vereador já teve tempo de mostrar o seu trabalho nesses 4 anos, se não fez nada para a população e legislou em causa própria, não deve continuar, deve deixar o cargo para o novo”, afirmou uma internauta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui