Eduardo Braga sugere a prefeitos e extrativistas do Rio Madeira a criação de um cadastro e de um manual para exploração mineral

BRASIL – O senador Eduardo Braga (MDB/AM) recomendou, nesta quarta-feira (01), que as prefeituras dos municípios amazonenses que pertencem à Bacia do Rio Madeira, região onde foi deflagrada uma operação da Polícia Federal que incendiou mais de 130 balsas, façam um cadastro de balsas e dos extrativistas de minério, assim como um manual normativo para o exercício da atividade na área.

“Feito isso tudo, sugiro que volte uma comissão a Brasília com esses documentos para que a bancada do Amazonas no Congresso comece a se mobilizar junto às autoridades e aos órgãos competentes. Faremos o que tiver ao nosso alcance para ajudá-los”, disse o parlamentar durante reunião com os demais senadores e deputados federais do Estado, representantes dos extrativistas e os prefeitos de Humaitá (José Cidenei do Nascimento – Denei), Manicoré (Paulo Sérgio Machado Barbosa), Novo Aripuanã (Jocione dos Santos Souza) e Borba (Simão Peixoto). Também participou o diretor-presidente do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Juliano Valente.

Quando esteve à frente do Governo do Estado do Amazonas, entre 2003 e 2010, Eduardo organizou o setor, instituindo um cadastro detalhado dos que se dedicavam à exploração mineral e as regras para licenciamento. “Havia, na época, uma série de pré-condições. Uma delas era o uso do cadinho”, disse o senador, referindo-se a um equipamento que recupera o mercúrio usado para separar o ouro das impurezas. “Lamentavelmente, hoje não sabemos quantas balsas usam ou não o cadinho”, afirmou Eduardo.

O senador se dispôs, ainda, a providenciar recursos federais, por meio de emenda ao Orçamento da União, aos municípios onde foram registrados danos materiais às famílias que tiveram suas balsas (residências) afetadas pelos incêndios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui