Impeachment de Wilson Witzel governador do Rio de Janeiro vai seguir, decide Alerj

Com 13 votos, a Comissão do Impeachment da Alerj, decidiu pelo prosseguimento do processo de impeachment do governador Wilson Witzel (PSC). O deputado estadual Rodrigo Bacellar (Solidariedade) é o responsável pelo parecer do processo, que agora segue para a análise e votação de todos os membros da Assembleia, em plenário, onde precisa receber pelo menos 47 votos para ser aprovado.

Caso o impeachment seja aprovado em plenário, por meio de um tribunal misto, formado por cinco deputados estaduais indicados pela Alerj e cinco desembargadores do TJ-RJ, a comissão terá até seis meses para decidir sobre a cassação de Witzel.

A comissão na Alerj tem 25 membros. Apenas João Peixoto (DC), internado com Covid-19, faltou à sessão de hoje.

O governador do Rio de Janeiro, foi afastado do cargo, no fim de agosto, por decisão monocrática do ministro Benedito Gonçalves, do STJ. Depois, a Corte Especial confirmou a decisão por 14 votos a 1.

Cláudio Castro, vice de Witzel, está interinamente no cargo.

O pedido de impeachment assinado pelos deputados estaduais Luiz Paulo e Lucinha, ambos do PSDB, foi acolhido em 10 de junho, pelo presidente da Alerj, André Ceciliano (PT).

O deputado Rodrigo Bacellar redigiu o parecer, que cita os desvios em contratos superfaturados com organizações sociais para gestão de hospitais antes e durante a pandemia do novo coronavírus. “Os fatos demonstram a não mais poder a supremacia do interesse privado sobre o público, o descaso com a vida e o oportunismo com a desgraça”, diz o relatório.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui