Ex-secretários alinhavam discursos na CPI em grupo no WhatsApp, diz PGR

MANAUS – Ao pedir busca e apreensão contra investigados na segunda fase da Operação Sangria, deflagrada nesta quinta-feira, 8, a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo afirmou que os ex-secretários Rodrigo Tobias, João Paulo Marques e Perseverando da Trindade criaram um grupo no aplicativo de mensagens WhatsApp para alinhar discursos na CPI da Saúde da ALE (Assembleia Legislativa do Amazonas).

“Verificou-se que o grupo criminoso arquitetou, de maneira consciente e voluntária, o ‘alinhamento’ dos discursos que seriam proferidos no âmbito da CPI da Saúde no Amazonas. Ressalte-se, por oportuno, que, dentre as diversas investigações, a Comissão Parlamentar estava também apurando a compra dos ventiladores pulmonares superfaturados da Vineria Adega”, afirmou Lindôra Araújo….

Trecho da decisão do ministro Francisco Falcão (Fonte: STJ)

De acordo com a PGR, o grupo se chamava “Só nós aqui” e tinha apenas os três ex-secretários. “Outro fator que chamou atenção da equipe de investigação foi um grupo de Whatsapp chamado “Só nós aqui”, tendo como integrantes Rodrigo Tobias, Perseverando da Trindade e João Paulo Marques (estes últimos foram presos na Operação Sangria)”, afirmou Araújo.

As investigações identificaram que no último dia 9 de junho, João Paulo mandou uma mensagem no grupo direcionada a Rodrigo Tobias solicitando que o ex-secretário de Saúde não apagasse “aquelas mensagens”. “Tobias. Não apague aquelas msgs (sic). Por favor. Aquilo pode salvar Perseverando e eu”, escreveu o ex-secretário executivo de Saúde.

A existência do grupo foi citada pela subprocuradora-geral da República para sustentar a afirmação de que Rodrigo Tobias tinha “efetiva participação no esquema fraudulento” engendrado no âmbito da Secretaria de Saúde do Amazonas para a compra dos respeitadores com preço superfaturado.

Na manhã desta quinta-feira, 8, a Polícia Federal prendeu o ex-secretário Rodrigo Tobias, a ex-secretária executiva de Saúde da capital Dayana Priscila Mejia, o engenheiro clínico Ronald Gonçalo Santos, o marida da ex-secretária de Comunicação Daniela Assayag, Luiz Carlos Avelino Júnior, e o empresário Gutemberg Leão Alencar. Assayag foi alvo apenas de busca e apreensão.

Com informações de Amazonas Atual

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui